Capa do post.

Mercos faz parte do grupo nuvini

No dia 13 de agosto, foi anunciada a aquisição da Mercos pela nuvini. A aquisição faz parte do plano de negócios do grupo nuvini, que tem como objetivo adquirir empresas lucrativas e em ascensão que atuam no modelo SaaS (Software as a Service) no mercado B2B (Business to Business)

A Mercos foi a sexta empresa adquirida do portfólio. Até 2025, a meta da nuvini é realizar 85 aquisições, atingindo R$ 4 bilhões em faturamento e R$ 1 bilhão em Ebitda, tornando-se a maior holding de SaaS do Brasil

Estratégia de negócios da nuvini

O plano de expansão da nuvini é adquirir empresas de SaaS em 3 verticais - Marketing e Vendas, Produtividade e Finanças e Controle. O foco são negócios com mais de cinco anos de operação e com receita entre R$ 20 e R$ 50 milhões.

A estratégia da nuvini é de dar autonomia às empresas adquiridas, mantendo a equipe e os fundadores na operação para garantir o crescimento. Esse modelo de atuação é inspirado na Constellation Software, grupo canadense com mais de 500 empresas adquiridas e listado na Bolsa de Toronto.

Para ter um foco ainda maior em resultados, a equipe da Mercos passa a contar com o apoio e a expertise dos executivos da nuvini. Entre eles estão profissionais com passagens por empresas de tecnologia como Google, Creditas e Loggi, e pelo mercado tradicional, como Pátria e Multiplus.

À frente do grupo, está Pierre Schurmann. O empresário já fundou sete empresas, das quais três são líderes de mercado. E é um dos pioneiros no mercado de internet do Brasil. Atualmente, também é sócio da Bossa Nova Investimentos, empresa líder em investimentos em startups na América Latina.

Decisão de venda da Mercos para a nuvini

Após 10 anos de atuação, a Mercos chegou em 2021 em seu melhor momento. Tem uma equipe estruturada e qualificada, um produto de alta qualidade e validado pelos clientes, uma operação lucrativa e grandes projetos para crescimento da operação.

“Observamos no mercado uma intensa atividade de fusões & aquisições, e vimos que era o momento certo para buscar a venda e trazer retorno para os nossos acionistas e investidores. Contratamos uma consultoria para nos ajudar a encontrar o parceiro ideal, e neste momento, fomos apresentados à nuvini. Foi um processo bastante intenso, de muitas conversas, análises e alinhamentos. Desde o início nos identificamos com a cultura empreendedora de alto impacto da nuvini. A confiança mútua foi crescendo a cada conversa e, depois de alguns meses, decidimos por fechar negócio”, comenta Tiago Brandes, CEO da Mercos.

A aquisição está associada a um plano de novos investimentos para acelerar ainda mais o crescimento da operação. O plano prevê a contratação de cerca de 45 funcionários até 2022, além do aprimoramento do software atual e desenvolvimento de novos produtos. Com estas iniciativas, a projeção de crescimento é de 30% nos próximos anos.

Fundadores da Mercos, da esquerda para direita: Rafael Trapp, Tiago Brandes e Celso Tonelli. Foto: Leonardo Waltrick

Conheça a história da Mercos

A Mercos foi fundada em setembro de 2010, por Tiago Brandes, Celso Tonelli e Rafael Trapp. Os três se conheceram durante a faculdade e depois trabalharam juntos. Além do desejo dos fundadores de empreender, a ideia surgiu porque o pai de Celso Tonelli é representante comercial e precisava de um sistema para gerenciar as suas vendas. Assim, a empresa, na época com o nome de Meus Pedidos, nasceu com o objetivo de melhorar as vendas de indústrias, distribuidoras e representantes.

Principais conquistas da Mercos em 10 anos

Com cerca de 15 funcionários, em 2015 a empresa recebeu investimento Series A dos importantes fundos Qualcoom Ventures e Monashees Capital, acelerando ainda mais o seu crescimento.

Em 2017, foi uma das 6 empresas brasileiras selecionadas pelo Google para participar do programa de aceleração Google Launchpad, no Vale do Silício.

A empresa passou a atuar cada vez mais no segmento de pequenas e médias indústrias e distribuidoras. Com esse desenvolvimento, em 2018 a então Meus Pedidos, passou a se chamar Mercos. O nome tem origem na sua missão de “ajudar marcas a conquistar mercados”. A revelação foi feita durante evento realizado pela própria empresa. Foram mais de 1.200 participantes presencialmente, além da transmissão ao vivo para toda a sua base de clientes.

Neste mesmo ano de 2018, a Mercos também conquistou pela primeira vez o selo Great Place to Work (GPTW), alcançando o ranking das melhores pequenas empresas de Santa Catarina e do Brasil.

E em 2019, passou a fazer parte do ranking de melhores médias empresas de Santa Catarina e melhores empresas de tecnologia do Brasil. Em 2021, o selo já foi recebido, porém a divulgação do ranking ainda não foi feita.

No decorrer dos anos, a empresa manteve um crescimento constante, aumentando em 15 vezes o seu faturamento recorrente desde que recebeu o investimento Series A. O crescimento sustentável e lucrativo sempre foi um dos pilares de gestão da Mercos, que alcançou o seu breakeven ainda em 2018.

Em julho de 2021, a Mercos chega aos números de mais de 6,5 mil clientes, 30 mil usuários, 90 funcionários, programa de parcerias com mais de 200 ERPs integrados e é adquirida pela nuvini.

O futuro da Mercos: o que vem pela frente após a venda?

Com a chegada no grupo, a expectativa é de crescimento sustentável de 30% no faturamento anual para os próximos anos, além de uma ampliação de mais de 45 pessoas no quadro de funcionários até 2022.

A empresa mantém sua autonomia, sem alterações na marca, nos projetos internos, na gestão ou funcionários. Os fundadores também continuam na operação. Em contrapartida, haverá mais investimento para atingir as expectativas de alto crescimento e o apoio e acompanhamento de uma comunidade com profissionais altamente qualificados.

"Temos grandes planos para os próximos anos. Além de aprimorar o nosso software, como sempre temos feito, também vamos oferecer novas soluções para entregar uma experiência de vendas ainda mais completa aos nossos clientes˜, comenta Brandes.

FAQ Mercos

A seguir listamos as principais dúvidas que podem surgir a partir desta novidade.

- A Mercos vai mudar de nome? Não, o nome e a gestão da Mercos se mantêm sem nenhuma mudança. A Mercos segue como uma empresa única e com autonomia. Apenas passa a fazer parte de uma holding (grupo de empresas).

- Haverá mudanças no contrato das empresas com a Mercos? Não, a Mercos continua com o mesmo CNPJ e mantém os mesmos acordos já realizados. Portanto, não haverá nenhuma mudança nos contratos.

- O que muda para os clientes? Nada muda para os clientes. Seguimos atendendo da melhor forma possível e desenvolvendo a melhor solução sempre pensando nos nossos clientes. Decidimos fazer essa comunicação porque sempre atuamos com muita transparência e queremos compartilhar esse momento tão importante para nós e tirar quaisquer dúvidas que possam surgir.

- Os funcionários vão continuar na Mercos? Sim. Não teremos nenhuma mudança de equipe. Muito pelo contrário, estamos com várias vagas abertas para podermos crescer e melhorar ainda mais.

- A Mercos estava quebrando? Não, de forma alguma! A Mercos está em seu melhor momento. Com uma operação lucrativa e alto crescimento. Inclusive, a nuvini só adquire empresas com mais de 5 anos de operação, que são lucrativas e com alto potencial de crescimento.

- Por que decidiram vender a Mercos? Em geral, as startups já são criadas com o objetivo de serem vendidas no médio-longo prazo. É por isso que recebem investimentos no início dos negócios e em algum momento precisam capitalizar. A venda da Mercos está no seu planejamento desde a sua criação. Agora, com um mercado de fusões & aquisições bem aquecido e com a empresa em sua melhor situação, foi o momento ideal para realizar a venda.