Capa do post.

Cuidados a tomar em um contrato de representação comercial

Sempre que se começa uma nova representação, há uma série de questões a considerar: as expectativas de resultado da representada, o aprendizado sobre o novo produto ou serviço, as comissões, prazos envolvidos e por aí vai. Um ponto importante nesse início – e que não pode ser negligenciado – é o contrato de representação comercial.

assinar contrato

Um contrato pode ser verbal ou escrito, pode ter meia dúzia de parágrafos ou ser excepcionalmente detalhado. Mas qual a melhor opção? E que cuidados devem ser tomados ao redigir esse documento? Vale a pena conferir as questões que se deve ter em mente ao fechar uma negociação na nossa área.

1. Registre no papel

Verbalmente pode parecer que todos chegaram a um acordo sobre os termos acertados... Até que surge uma dúvida ou a data em que a comissão é paga não combina com aquela que você lembrava ter combinado. Quando o contrato de representação não é feito por escrito, sempre pode ficar aquela sensação de que algo ficou no ar. Para evitar desentendimentos, coloque os termos no papel e fique com uma via assinada por você e pela empresa.

Alguns itens que devem constar são:

  • Requisitos gerais da representação (dados do representante e da representada, objetivos gerais);
  • Indicação genérica ou específica dos produtos ou serviços que serão objeto da representação (indicar exclusividade de área de atuação, se houver);
  • Data de início e período de validade do contrato;
  • Indicação da zona ou zonas em que será exercida a representação;
  • Percentual da comissão e condições: se será entregue no registro do pedido ou na liquidação do pagamento recebimento e o dia do mês previsto;
  • Informações sobre devolução de mercadorias não vendidas e ressarcimento de gastos (com transporte, viagens ou alimentação), se for o caso;
  • Obrigações e responsabilidade das partes contratantes e
  • Condições de um eventual cancelamento ou não cumprimento do contrato.

2. Seja específico

Ao cumprir esses tópicos em cada contrato, evite ser genérico, usando termos e condições que podem ser gerais para qualquer representada. Pense bem nas condições daquela negociação em específico. Há modelos de contrato de representação que você pode encontrar prontos na internet, inclusive no site do Confere, mas evite usar um modelo muito generalista. Inclua o máximo de dados sobre aquele negócio e tente cobrir todas as questões sobre as quais vocês podem acabar discordando mais tarde. Existem pré-requisitos para o pagamento das comissões? Inclua no documento. Há metas a cumprir? Insira também os critérios de definição.

3. Renove no prazo

É importante que o contrato tenha data de validade, até porque as condições de mercado se alteram com velocidade. Então, rever os termos acertados a cada dois ou três anos pode beneficiar tanto o representante quanto a empresa representada. Mas fique atento a essa data e renove antes do prazo da validade, novamente obtendo a assinatura de todos e guardando a sua via.

Caso seja a empresa que ofereça o contrato para sua assinatura, confira se todos esses quesitos trazidos aqui constam no documento. Caso você fique com alguma dúvida, peça esclarecimentos ou revisão. O importante é que tanto você quanto a representada iniciem a parceria com o pé direito, para que ela dure muitos e muitos anos.

E você, costuma estabelecer um contrato com a empresa representada? Que cuidados toma ao elaborar esse documento? Conte para nós nos comentários!